Capa do livro 14 hábitos de desenvolvedores altamente produtivos

Notas sobre 14 hábitos de desenvolvedores altamente produtivos

Livros

Uma das minhas metas para 2021 é voltar a ler. Creio que eu não seja o único com esse objetivo. Contudo, não é fácil voltar ao hábito da leitura de uma hora para outra.

Afim de deixar as coisas um pouco mais fáceis, procurei por livros com um objetivo simples e direto, e foi assim que descobri o livro 14 hábitos de desenvolvedores altamente produtivos do Zeno Rocha.

Como complemento, resolvi criar algumas notas do livro. Uma ideia que me ajuda a memorizar o conteúdo e acaba divulgando o material para outras pessoas.

Ideias para todos

Acompanho o Zeno Rocha já faz alguns anos. Não é atoa que ele se tornou um grande porta voz da comunidade, ele sabe comunicar para todos os públicos. Este material não é diferente. O livro é composto por 14 tópicos envolvendo hábitos de desenvolvedores de diversas senioridades.

Cada tópico lida com problemas diários vividos por desenvolvedores. Muitos desses problemas são relacionados a carreira, profissionalismo, saúde mental, etc. O autor descreve como esses pontos estão ligados à hábitos, e apresenta quais as possíveis ideias para se manter na linha. Após cada conclusão, é apresentado a opinião de várias pessoas da área explicando como elas lidam com o tópico em específico.

E antes mesmo de apresentar quais foram os aprendizados que eu retirei deste livro, recomendo a leitura do mesmo. Fortaleço que essa publicação não tem intuito de resumir o livro, mas sim apresentar minha opinião sobre tudo que consegui absorver do material.

Continue aprendendo

Posso dizer que nunca se viu tanto conteúdo e material sobre desenvolvimento como nos dias de hoje. Existem diversas comunidades, cursos e livros espalhados mundo afora. Lembro claramente do sentimento de descobrir um novo curso ou tutorial e imaginar o que eu poderia fazer com todo aquele conhecimento.

E a dica aqui é: não se perca. Não importa se você é um programador iniciante ou experiente, sempre há espaço para estudar conceitos, aprender novos algoritmos, entender a experiência de um usuário. O autor frisa que não é necessário saber todos esses pontos para criar seu primeiro aplicativo, mas ressalta que conhecê-los vai ajudar em muitos projetos complexos no futuro.

Uma das técnicas ligadas a esse processo é o ABC, Always Be Coding ou “Esteja sempre programando”. Por mais que seja clichê, a prática leva a perfeição. O objetivo é sempre conectar o estudo do material com a aplicação dele em “campo”.

Jogo infinito

A gamificação já não é novidade para ninguém nos dias atuais. Contudo, o conceito de jogo não é empregado apenas em produtos. The Infinite Game é um livro publicado por Simon Sinek, onde ele explica que a vida é dividida em dois tipos de jogos: Os jogos finitos e os jogos infinitos.

Um jogo finito é definido com base de regras e objetivos. Podemos pensar em esportes como jogos finitos. No futebol, por exemplo, são dois times com onze jogadores competindo durante 90 minutos. Vence quem fizer mais gols.

Por outro lado, o jogo infinito não é baseado em um objetivo específico, nem tem muitas regras estabelecidas. Um bom exemplo fornecido pelo autor é o casamento. A ideia gira em torno de que o casamento não possui um objetivo claro, ou regras escritas em um livro. São pessoas em um relacionamento lidando com um dia após o outro dia.

A ideia de Simon Sinek é mostrar que esses dois perfis não funcionam juntos. Um jogador finito não consegue competir com um jogador infinito. O jogador infinito está lutando para permanecer no jogo, enquanto o jogador finito está competindo para ganhar. O sistema fica instável.

Você não pode vencer na programação, só pode continuar evoluindo o software para ser melhor, mais escalável e mais útil todos os dias.

Zeno Rocha

O mesmo conceito existe na programação. Nós vivemos diariamente num jogo infinito, não existe um vencedor quando se trata de código. Os produtos sofrem constantes mudanças e todos os dias surge uma forma melhor de fazer algo. Aponte o seu foco para constantes melhorias, códigos bem escritos, manuteníveis. Saiba que no futuro você precisará corrigir uma obra prima criada no presente.

Especialistas e Generalistas

Talvez esse seja o maior tópico sendo discutido dentro da comunidade de programação. Afinal, vale mais a pena ser muito bom em um assunto específico, ou entender de assuntos diversos?

Assim como o Zeno comenta no livro, já me deparei com ótimos profissionais especialistas e ótimos profissionais generalistas. Os especialistas tem como prioridade serem muito bons em coisas específicas, geralmente uma linguagem ou um framework. Os generalistas preferem expandir os horizontes e entender de todos os aspectos de uma aplicação ou do negócio.

O livro apresenta prós e contras dos dois lados. Contudo, não existe certo e errado. Cada profissional precisa de uma reflexão para entender em qual perfil se encaixa.

A dica é sempre estar acompanhando o mercado. Talvez não seja interessante se tornar especialista em uma tecnologia que não tem tanta demanda, assim como não é interessante mudar de área frequentemente sendo um generalista.

Nem tudo se trata de código

Ao longo da minha carreira trabalhei com diversos desenvolvedores e desenvolvedoras de diferentes gostos e hábitos. Porém, posso afirmar que a maioria dessas pessoas não gostavam de negócios. Não estou dizendo que eram profissionais que não se importavam com a empresa, ou que não se empenhavam para entender a regra de negócio.

O grande ponto é que negociar era um grande repelente para eu e muito dessas pessoas.

Uma pessoa que sabe programar é poderosa, uma pessoa que sabe programar e sabe como os negócios funcionam é imparável.

Zeno Rocha

Contudo, esse é um “problema” que pode ser resolvido. Não é necessário ter aptidão em negócios para saber negociar. Saber conversar de uma forma que todos entendam, utilizar palavras e terminologias da indústria e consumir conteúdo da sua área vão te preparar para o mundo da negociação.

Em relação ao trabalho, se esforce para entender o lado da empresa. Nem sempre a solução que leva 10 dias para ficar pronta é a ideal no momento. Muito das vezes precisamos seguir por caminhos que fogem um pouco do nosso controle. Código é apenas o meio de resolver um problema.

Conclusão

Você provavelmente deve ter escutado alguma dica dessa uma vez ou outra na vida. E é fato, algumas coisas funcionam, outras não. O que posso adicionar é para encontrar os hábitos que funcionam pra você e pro momento em que você se encontra.

Existem outros tópicos dentro do livro que são bem interessantes, mas que resolvi não trazer para não criar uma espécie de resumo.

E se você tem algum hábito que não comentei, deixe nos comentários, quanto mais, melhor. Muito obrigado por acompanhar até aqui!

comentários